Consultoria, Tecnologias de Informação

Apps, Gaming e Data na Gestão de Pessoas

As práticas de gestão de Recursos Humanos e de gestão de pessoas desenvolvem-se em contextos onde ferramentas como gamification, data analytics e people management apps podem ser usadas para reforçar e gerir as competências das pessoas e da organização, avaliar políticas de recrutamento e seleção, retenção de talentos, compensação e benefícios, em suma, realizar toda a gestão relacionada com as pessoas.

O objetivo da gamification é elevar o envolvimento das pessoas que são enquadradas dentro do jogo, estabelecendo prémios, competições, conquistas, desafios, o que contribui para aumentar a motivação – esta é uma ferramenta de gestão de equipas por excelência, permitindo aumentar o desempenho dos colaboradores.

A gamification pode contribuir para aumentar a socialização, a aprendizagem, a competição, a colaboração, a comunicação, entre outras dimensões organizacionais. Fazendo uma analogia entre os jogos e a gestão de pessoas, podemos dizer que os jogos possuem um funcionamento baseado em objetivos a atingir, o que em contexto empresarial funciona da mesma forma – os departamentos e os colaboradores têm também objetivos a atingir.

Algumas dimensões dos jogos que conseguimos rever nas organizações e nas relações entre chefias e colaboradores, e até entre os próprios colaboradores, são:

  • O feedback rápido que acontece em situações de jogo pode ser usado nas organizações como um elemento motivador, pois permite ao colaborador saber em tempo real como está a ser percecionado o seu desempenho.
  • A transparência que decorre do estabelecimento das regras dos jogos e que numa organização são fundamentais para as relações organizacionais, para o estabelecimento e conhecimento dos objetivos e das tarefas a realizar, bem como para estabelecer uma estratégia eficaz de comunicação interna.
  • A importância de ter objetivos claros e bem definidos, para que tanto os jogadores como os colaboradores saibam o que necessitam de atingir, que recursos necessitam de obter, bem como o tempo e o orçamento associado à consecução dos mesmos.
  • A maior parte dos jogos funcionam por níveis que proporcionam o avanço dos participantes atingindo níveis de maior dificuldade e, consequentemente, promovendo a sua motivação, criando uma sensação de realização no final do processo, e todo este sistema pode ser replicado para os colaboradores.
  • O sentimento de participação que os jogadores têm, que, por sua vez, os mobiliza para o jogo e para atingir os objetivos, é semelhante ao dos colaboradores de uma organização que são levados a participar, e, seguindo as regras, a atingir os objetivos e a evoluir.
  • Os jogos exaltam a competição e a concorrência, na maior parte dos casos, de modo controlado e saudável, o que pode ser transposto para a gestão de equipas e de pessoas, baseada em condições igualitárias.
  • A gamification também promove a colaboração quando os jogadores e os colaboradores criam alianças e colaborações para atingirem um determinado objetivo. O aparecimento de comunidades entre jogadores para trocarem experiências, técnicas e metodologias que utilizam para vencer e melhorar o seu desempenho, também pode ser transposto para as organizações, permitindo criar relacionamentos, inclusive interdepartamentais, e contribuindo para fortalecer a criação de uma cultura organizacional.
  • A pontuação que é estabelecida nos jogos é algo que traz uma sensação imediata de recompensa, concede feedback instantâneo e permite a autoavaliação; quando transposta para a atividade organizacional, pode permitir importantes ganhos de eficiência e eficácia.

No contexto organizacional é importante que os jogos estejam sempre em linha com os padrões éticos da organização, os seus objetivos e as funções dos colaboradores envolvidos.

A gamification poderá estar ligada a aplicações tecnológicas de gestão de pessoas (apps), que permitem uma maior eficácia na análise e que contribuem para uma melhor gestão dos talentos da organização. Os dados que são gerados e que são a base da tomada de decisão, são submetidos a modelos e ferramentas de data analytics, tendo em vista melhorar o processo de tomada de decisão – um desafio para os gestores de Recursos Humanos, porque estão sob pressão para responder rapidamente às solicitações dos seus parceiros organizacionais e do próprio mercado.

Data Analytics pode combinar análises de dados que provêm dos sistemas de informação de Recursos Humanos, com os dados provenientes dos processos de gamification, baseando-se em competências, tecnologias, aplicações e processos de negócios, tendo em vista a tomada de decisões estratégicas e táticas. As tecnologias e aplicações incluem métodos de gestão destes dados, permitindo realizar consultas analíticas, criar relatórios e sistemas de visualização dos dados, bem como usar técnicas analíticas para previsão de cenários futuros de gestão das pessoas da organização. Enquadramos aqui ferramentas de HR Analytics que representam técnicas de estatística e abordagens experimentais, e que podem ser usadas para mostrar o impacto das atividades de Recursos Humanos, incluindo soluções sofisticadas, baseadas em predictive models e what-if scenarios, com base nos dados disponíveis sobre a força de trabalho da organização.

As organizações que competem na atual economia baseada no conhecimento, reconhecem a importância crescente da trilogia data analytics, gaming e apps na gestão de pessoas, na promoção da competitividade e na melhoria do desempenho das pessoas e das organizações.

Por: Maria José Sousa, presidente da subcomissão de acompanhamento ISO/TC 260 HRM

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Revista Pessoal

  • Revista Pessoal – novembro/dezembro n.º 176

    Como já vem sendo hábito, a última revista Pessoal do ano é especialmente dedicada aos gestores e aos líderes que têm como prioridade máxima o seu recurso mais valioso: as pessoas. Atualmente, a maior parte das organizações estão preparadas para antecipar as mudanças que ocorrem no mercado de trabalho, mas estas acontecem a uma velocidade…

Aprender Magazine

  • APRENDER MAGAZINE – DIRETÓRIO DE EMPRESAS DE FORMAÇÃO / 2018

    LEIA AQUI O mercado de trabalho está a fervilhar com novas oportunidades, que não estão, ainda, a ser completamente exploradas. Com o crescimento económico que se tem vindo a constatar no panorama empresarial do nosso país, a procura de mão-de-obra qualificada tem aumentado significativamente. Em alguns setores – com maior destaque para as Tecnologias da…

Livros

RHtv