Medir e Certificar

Para formar é preciso ser formado e certificado

Nos últimos anos tem vindo a crescer o número de formadores que obtiveram certificação profissional. Neste momento são 378 mil o número de formadores certificados no nosso País. Elsa Caramujo, coordenadora da Direção de Serviços da Qualificação do Departamento de Formação Profissional do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), respondeu a algumas perguntas sobre sistemas de certificação de formadores.

De acordo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, “a Certificação de Competências Pedagógicas do Formador comprova que o seu titular é detentor das competências necessárias para o exercício da atividade de formador. Através da Formação Pedagógica Inicial de Formadores, enquanto uma das vias de acesso à certificação, o formador passa a deter um conjunto de competências, que lhe permite responder aos múltiplos desafios da atividade formativa, não apenas no domínio pedagógico, mas também ao nível dos comportamentos e atitudes, que podem marcar a diferença no mercado da formação.

A formação e a certificação pedagógica de formadores constituem-se, assim, como instrumentos centrais para potenciar os efeitos do seu esforço, em ganhos de qualidade e de produtividade na formação desenvolvida no quadro do Sistema Nacional de Qualificações, mas também no quadro da formação não regulada”.

A quem se destina este tipo de certificação?

A Certificação de Competências Pedagógicas do formador destina-se a todos os profissionais que pretendam exercer atividade nos domínios da educação e formação, sendo obrigatória para os formadores que desenvolvem a atividade no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações, de acordo com a Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio. A certificação é comprovada através do Certificado de Competências Pedagógicas do formador – CCP.

Que vantagens profissionais poderão os formadores retirar desta certificação?

Para além de promover a aquisição, atualização e o reforço de competências necessárias à atividade formativa ao nível do planeamento, organização, execução e avaliação, os formadores ficam igualmente dotados de um conjunto de outras competências, cada vez mais relevantes em qualquer domínio profissional, das quais se destacam o empreendedorismo, a criatividade, a gestão de projetos, as tecnologias de informação e comunicação e a utilização de plataformas colaborativas de aprendizagem. Não obstante, esta é uma certificação de base/inicial, que deverá ser acompanhada por um investimento permanente em formação contínua, numa lógica de aprendizagem ao longo da vida e com vista ao desempenho qualificado desta atividade.

Qual tem sido a recetividade dos formadores?

O crescimento que se verificou nos últimos anos no volume de formação desenvolvida em Portugal, quer no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações, mas também na maior aposta das empresas em processos de desenvolvimento de competências dos seus colaboradores, no quadro das políticas internas de gestão de pessoas, foi efetivamente acompanhado por um aumento do número de formadores certificados.

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Revista Pessoal

  • Revista Pessoal – janeiro/fevereiro n.º 177

    O mercado de trabalho, hoje em dia, é global, instável e acelerado, o que exige aos profissionais de todos os setores uma preocupação constante com o desenvolvimento das suas competências, numa lógica de aprendizagem ao longo da vida. No contexto de revolução digital que atravessamos, os Recursos Humanos e a sua formação assumem-se, também, como…

Aprender Magazine

  • APRENDER MAGAZINE – DIRETÓRIO DE EMPRESAS DE FORMAÇÃO / 2018

    LEIA AQUI O mercado de trabalho está a fervilhar com novas oportunidades, que não estão, ainda, a ser completamente exploradas. Com o crescimento económico que se tem vindo a constatar no panorama empresarial do nosso país, a procura de mão-de-obra qualificada tem aumentado significativamente. Em alguns setores – com maior destaque para as Tecnologias da…

Livros

RHtv