Medir e Certificar

Balanced Scorecard: a métrica ao serviço da Gestão

O Balanced Scorecard (BSC) é um sistema de suporte à gestão que visa operacionalizar a estratégia e a visão da organização de uma forma estruturada, alinhando o(s) processo(s) de criação de valor da organização através de relações de causa/efeito, considerando várias perspetivas como: (1) a gestão de competências, dos recursos e da cultura organizacional; (2) os processos internos da organização; (3) a relação com o(s) cliente(s); (4) e, por fim, o impacto financeiro da atividade.

O BSC otimiza todo o processo de gestão, desde logo relacionando os processos críticos da cadeia de valor e respetivo impacto na estratégia definida, permitindo deste modo estabelecer objetivos de desempenho e metas de performance, alocar os recursos necessários e facilitar a comunicação das decisões de gestão.
Através do alinhamento com os ciclos de gestão, o BSC contribui para a melhoria contínua, nomeadamente na identificação de fragilidades e oportunidades de melhoria, oferecendo inputs estratégicos para o processo de Revisão pela Gestão e para o Planeamento Estratégico dos ciclos seguintes.
A implementação consolidada do BSC e o seu impacto na identificação e melhoria dos processos críticos da organização tem como vantagem a melhoria da maturidade desses processos, conseguida através da definição de políticas e implementação de procedimentos, e deste modo, reduzir a exposição a fatores de risco como: a rotação e perda de pessoal, variações nos níveis de conhecimento e de cultura organizacional, alterações operacionais ou regulamentares, deterioração da qualidade na relação com os clientes e outros stakeholders, entre outros.

Ambiente tecnológico ideal para implementar uma ferramenta BSC.
O BSC é uma ferramenta de suporte à decisão e, por isso, é muito importante estar dotada de meios de prestação de informação expeditos e objetivos que sirvam aos vários níveis da gestão.
Este tipo de informação, obtida em tempo real e de forma customizada, por contraposição ao tradicional reporte de gestão, apesar da sua maior eficácia, requer algum desenvolvimento de sistemas de informação, podendo este ser efetuado de forma gradual, sustentado por vários ciclos de operação do BSC e de acordo com os requisitos e as necessidades de informação da gestão.
O ideal é que o histórico dos dados recolhidos possa ser disponibilizado de uma forma dinâmica e consoante as necessidades específicas de informação de cada gestor, devendo o suporte tecnológico de dados estar suportado por um sistema de Business Intelligence, que é constituído por: (1) uma base de dados dimensional (DataMart); (2) por um processo de extração, transformação e carregamento de dados oriundos dos sistemas operacionais (ETL); (3) e por uma ferramenta de pesquisa/visualização que permita aos gestores cruzar e comparar os dados para efeitos de análise e tomada de decisão.

Atual estado de implementação da ferramenta BSC.
A particularidade que distingue o BSC das restantes ferramentas de gestão está no alinhamento estratégico dos vários processos da organização e da respetiva cadeia de valor, com os objetivos estratégicos e a missão da organização, através do estabelecimento de relações de causa efeito entre os processos.
A implementação de um modelo desta natureza requer um elevado grau de compromisso de todos os elementos da organização bem como um forte empowerment da gestão de topo, sendo igualmente importante que o seu desenvolvimento seja contínuo, gradual e sustentado em vários ciclos de gestão.

Que futuro, para este tipo de ferramentas nas empresas?
Hoje em dia é praticamente inconcebível gerir uma empresa sem um planeamento estratégico, baseado em objetivos e metas quantificáveis. Estar dotado de ferramentas de suporte à gestão que permitam a monitorização dos objetivos, alertar para fragilidades futuras e/ou identificar oportunidades de melhoria é um lugar quase comum aos gestores das nossas empresas.
Num futuro próximo, será cada vez maior o conhecimento e o controlo da gestão sobre a sua cadeia de valor, os seus processos críticos e o relacionamento de causa efeito entre estes, permitindo uma intervenção cirúrgica e expedita, sempre que necessário, e a implementação de iniciativas de melhoria mais eficazes.
Os sistemas de suporte à gestão serão autênticos sensores/alertas em tempo real sobre o estado de saúde de cada um dos processos de negócio.
Neste tipo de ambiente, altamente tecnológico e estruturado, o BSC é por excelência o sistema de suporte mais adequado.

Rui Almeida Santos

Rui Almeida Santos, especialista em Balanced Scorecard, autor e membro da equipa de análise financeira e assuntos fiscais da Direção de Contabilidade da CGD (DCI)

Veja AQUI o livro do autor do artigo sobre  Balanced Scorecard em Portugal

 

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Revista Pessoal

  • Revista Pessoal – janeiro/fevereiro n.º 177

    O mercado de trabalho, hoje em dia, é global, instável e acelerado, o que exige aos profissionais de todos os setores uma preocupação constante com o desenvolvimento das suas competências, numa lógica de aprendizagem ao longo da vida. No contexto de revolução digital que atravessamos, os Recursos Humanos e a sua formação assumem-se, também, como…

Aprender Magazine

  • APRENDER MAGAZINE – DIRETÓRIO DE EMPRESAS DE FORMAÇÃO / 2018

    LEIA AQUI O mercado de trabalho está a fervilhar com novas oportunidades, que não estão, ainda, a ser completamente exploradas. Com o crescimento económico que se tem vindo a constatar no panorama empresarial do nosso país, a procura de mão-de-obra qualificada tem aumentado significativamente. Em alguns setores – com maior destaque para as Tecnologias da…

Livros

RHtv