Recrutamento & Seleção, Tecnologias de Informação

Recrutamento digital: como atrair os melhores talentos?

O mercado de recrutamento deixou de estar sob o comando das empresas. Hoje em dia, são os candidatos que guiam o processo. Esta mudança de paradigma surge no contexto do surgimento e desenvolvimento de tecnologias ditas “sociais”. Consequentemente, as empresas devem rever e atualizar a sua forma de recrutamento de novos talentos para fazer face aos desafios do mundo de hoje.
De facto, o Recrutamento Digital deixou de ser apenas um conceito, ou o futuro, é sim a realidade. Assim, surgem apps para resolver questões muito específicas da vida diária, tal como acontece na área de recrutamento. Foi assim que nasceu a Harpoon.jobs em Portugal. A Harpoon é a primeira plataforma de recrutamento exclusiva que junta os melhores talentos e as melhores empresas, e se posiciona como uma alternativa aos métodos tradicionais e ultrapassados de recrutamento off-line e on-line.
Com uma forte proposta de valor que combina velocidade, transparência e experiência de utilização, esta nova solução de recrutamento já atraiu mais de 40 empresas. Além de um algoritmo de matching que tem em conta as expectativas dos candidatos e os requisitos das oportunidades de emprego e acelera o processo de recrutamento, a plataforma assenta também num modelo de referenciação de talentos, o que faz com que se mantenha um nível de qualidade elevado.
Esta revolução do recrutamento tem um grande impacto no papel do recrutador, e os profissionais de Recursos Humanos devem adaptar-se às mudanças do mercado. As empresas têm hoje a necessidade de desenvolver as suas competências de recrutamento para incluir, por exemplo, o uso de redes sociais, competências estas cada vez mais indispensáveis para operar no mercado impulsionado pelos candidatos.
Se as empresas já usam as redes sociais para a sua promoção na perspetiva do marketing, agora os recrutadores devem também adquirir competências de vendas e marketing. O recrutador já não é apenas aquele que guia o candidato ao longo do processo de recrutamento, mas tornou-se o guardião da marca, o responsável pelo tão falado employer branding.
Os recrutadores e os profissionais de Recursos Humanos têm como missão transmitir uma imagem autêntica da empresa e das condições de trabalho que esta oferece. De qualquer forma, para ajudar à decisão, os candidatos irão sempre procurar sabes mais informações, por exemplo, junto de ex-trabalhadores, em sites como o Glassdoor.
Pode-se, assim, dizer que o recrutamento moderno se aproxima do B2C (Business-to-Consumer) como um novo tema estratégico de marketing, onde a transparência e a honestidade são essenciais. Cada vez mais, recrutadores e candidatos têm acesso a várias fontes de informação um sobre o outro, através de redes sociais, e por isso a relação entre Recursos Humanos, gestão e talento alterou-se radicalmente.

O recrutamento é uma experiência
Além do primeiro contacto, os recrutadores também devem ter as competências para gerir corretamente a experiência de candidatura, estando dispostos a responder às questões e dúvidas do candidato para transmitir uma imagem positiva da empresa.
É fundamental tirar o máximo partido das redes sociais para melhorar o processo de recrutamento, no entanto, isso requer muito mais do que a criação de uma página de LinkedIn que não se traduz numa experiência capaz de seduzir um talento, que, por definição, não está ativamente à procura de emprego. Da mesma forma, isto não chega para garantir a qualidade das centenas de candidaturas que chegam a algumas empresas. Além disso, o uso do mobile também se tornou indispensável para qualquer tarefa diária.
A influência das novas tecnologias no recrutamento é inegável. Estas novas ferramentas permitem abordar, de maneira rápida e eficiente, os talentos, e nomeadamente os millennials, nativos digitais ultra-conectados, habituados à economia de consumo e de informação e que têm também outras expectativas sobre o mercado de trabalho.
É a partir desta constatação que empresas como a L’Oréal, Sumol+Compal, Danone, Pernod Ricard, Aki, Sephora, Leroy Merlin e Nestlé, por exemplo, estão a recorrer ao Harpoon.jobs para conhecerem os talentos que fazem o match perfeito com as suas necessidades.

Matthieu DouziechPor: Matthieu Douziech, CEO da Harpoon.jobs

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Revista Pessoal

  • REVISTA PESSOAL – JULHO/ AGOSTO N.º 174

    Na economia digital e tecnológica da qual, obrigatoriamente, fazemos parte, e independentemente do tipo de funções e responsabilidades que desempenhamos, as chamadas soft skills – ou competências pessoais – constituem mecanismos fundamentais para melhorar o desempenho profissional em contexto de equipa e de mobilização para a ação, uma vez que falamos de competências que potenciam…

Aprender Magazine

  • APRENDER MAGAZINE – DIRETÓRIO DE EMPRESAS DE FORMAÇÃO / 2018

    LEIA AQUI O mercado de trabalho está a fervilhar com novas oportunidades, que não estão, ainda, a ser completamente exploradas. Com o crescimento económico que se tem vindo a constatar no panorama empresarial do nosso país, a procura de mão-de-obra qualificada tem aumentado significativamente. Em alguns setores – com maior destaque para as Tecnologias da…

Livros

RHtv