Recrutamento & Seleção

Pessoas Certas ou Certas Pessoas

O paradigma do “Homem certo no lugar certo” deixou, efetivamente, de servir a realidade objetiva e mais favorável em matéria de seleção do candidato mais adequado, para processos de recrutamento especializado, atendendo a que não tem em linha de orientação um conjunto de vicissitudes muitas vezes indomáveis pelas próprias organizações, refletindo-se como uma consequência do absoluto e imperioso dinamismo a um conjunto muito diversificado de níveis: a própria estrutura interna de uma organização é o resultado de uma estratégia definida pela gestão de topo e, como tal, é aquela que acompanha esta última; a função para a qual o candidato está a ser selecionado deixou de ser estática e, consequentemente, sofrerá, ao longo do tempo, e fruto da necessidade de rápida e eficaz adaptação aos desafios de mercado e negócio, um conjunto de alterações, quer seja pela adição ou subtração de competências imperiosas para o sucesso do desempenho; a carreira, para empresas que possuam um planeamento concreto e controlado, será quase certamente pautada por movimentações verticais e horizontais, como forma de reter o talento.
Por um lado, os processos de seleção desenvolvidos por intermédio das consultoras de Recursos Humanos, com maior incidência nos processos de recrutamento especializado que as empresas decidem adjudicar àquelas, terão de ter uma estrutura processual muito bem definida, mais rigorosa e rápida, já que para atrair o candidato com o potencial, efetivo e preventivo, tanto para a função como para o futuro, será necessário fazê-lo por intermédio da progressiva instrumentalização técnica (testes de aptidão, personalidade, e assessment centers, entre outros), de forma tão célere quanto possível (o envolvimento com o candidato, a consideração por este, e, em última instância, a accuracy terá de se sobrepor a razões de timing).
Por outro lado, o grande desafio do sucesso na retenção de talento dependerá, em exclusivo, da capacidade das empresas possuírem uma verdadeira visão estratégica em relação às pessoas, através de uma estrutura interna moldável e capaz de evoluir, saudável de relações, bem orientada do ponto de vista da cultura e do engagement, com a existência de um verdadeiro sentido de missão transversal, pautada por package de benefícios que visem a valorização da vida pessoal, entre outros programas que, constatamos, fazem toda a diferença.
Em suma, os processos de seleção terão de começar pela seguinte questão: queremos as pessoas certas ou certas pessoas?

PMMenezesPor: Pedro Menezes, coordenador da equipa de Recrutamento Especializado da Talenter

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Aprender Magazine

Revista Pessoal

  • REVISTA PESSOAL – JULHO/ AGOSTO N.º 174

    Na economia digital e tecnológica da qual, obrigatoriamente, fazemos parte, e independentemente do tipo de funções e responsabilidades que desempenhamos, as chamadas soft skills – ou competências pessoais – constituem mecanismos fundamentais para melhorar o desempenho profissional em contexto de equipa e de mobilização para a ação, uma vez que falamos de competências que potenciam…

Sondagem/Quiz RH

Liderança e Amor terão alguma coisa em comum?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...

Colecção Find Out

RHtv