Recrutamento & Seleção

O potencial da entrevista de saída

A entrevista de saída é uma técnica que tem como objetivo recolher informações acerca da experiência de colaborador e dos motivos de saída da empresa, numa ótica de melhoria contínua de políticas organizacionais. Esta entrevista, deve ser promovida pelo Gestor de Recursos Humanos (GRH) e devidamente enquadrada ao colaborador que está em processo de saída, revestindo-se de uma conversa a decorrer num ambiente que proporcione uma reflexão e um diálogo construtivos. Para um maior sucesso da entrevista, sugere-se que esta se desenvolva tendo como ponto de partida o percurso vivido pelo colaborador na empresa, desde o acolhimento e integração, ao desenvolvimento profissional, incentivos e benefícios, comunicação com os pares e cooperação com a liderança. É importante dar “espaço” para o mesmo sentir-se tranquilo, de forma a, numa fase aprofundada da conversação, partilhar os motivos que o levam a desvincular-se da Organização. Por esse motivo, a entrevista de saída é desafiante, exigindo do GRH a arte de conduzi-la, com o objetivo de perceber a ligação entre a experiência vivida pelo colaborador e os reais motivos que o levam a sair da empresa, sendo uma fonte de informação valiosa para o alinhamento da cultura organizacional, face às expetativas dos demais colaboradores.

Assim, a realização da entrevista de saída apresenta como principais benefícios:

– Garantir uma boa prática na gestão do processo de saída, em que o colaborador completa o seu ciclo de experiência na empresa através da partilha da sua opinião;

– Reconhecer e valorizar o feedback dado pelo colaborador, perspetivando-o como uma oportunidade para a melhoria da performance organizacional;

– Harmonizar a estratégia de RH, sobretudo ao nível de incentivos e benefícios, com vista à retenção de colaboradores-chave na dinâmica organizacional e com isso reduzir o turnover.

– Ao desvincular-se da empresa, o colaborador transporta consigo todo um percurso que contribui para construir e veicular uma imagem da Organização que, sendo positiva, torna-se importante para o branding da empresa, quer na atração de candidatos, quer na prestação de serviços a clientes.

A concluir, importa referir que esta entrevista será favorável nos casos em que a gestão do processo de saída tem por base um acordo de boa-fé na desvinculação entre as partes e, tende a ser mais bem aceite, quando a saída resulta da iniciativa do colaborador. Nesse sentido, a entrevista de saída deve ser perspetivada como um momento positivo do términus da relação contratual, sendo uma oportunidade de reflexão e de melhoria tanto para a empresa como para o indivíduo.

 

Por: Bruno Rebelo, Gestor de Recursos Humanos e Doutorando em Sociologia, no ISCTE.

 

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Aprender Magazine

Revista Pessoal

  • REVISTA PESSOAL – JULHO/ AGOSTO N.º 174

    Na economia digital e tecnológica da qual, obrigatoriamente, fazemos parte, e independentemente do tipo de funções e responsabilidades que desempenhamos, as chamadas soft skills – ou competências pessoais – constituem mecanismos fundamentais para melhorar o desempenho profissional em contexto de equipa e de mobilização para a ação, uma vez que falamos de competências que potenciam…

Sondagem/Quiz RH

Liderança e Amor terão alguma coisa em comum?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...

Colecção Find Out

RHtv