4
Responsabilidade Social e Ambiental

Carta Portuguesa para a Diversidade: um movimento colaborativo

A Carta para a Diversidade, iniciativa da Comissão Europeia, tem por objetivo desenvolver políticas e práticas internas de promoção da diversidade nas organizações.
A Carta Portuguesa para a Diversidade conta atualmente com 146 organizações signatárias de todos os setores e dimensões. A Comissão Executiva é composta pelo Alto Comissariado para as Migrações, Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Instituto Nacional para a Reabilitação, GRACE, Fundação Aga Khan e pelo ISCTE-IUL.
Este movimento tem sido caraterizado por um forte espírito colaborativo e de partilha de práticas entre pares, sendo toda a atividade assente em grupos de trabalho de livre adesão por qualquer organização signatária.
O ponto alto deste movimento deu-se no passado dia 22 de maio, no ISCTE-IUL, em Lisboa, aquando do primeiro Fórum Nacional para a Diversidade, que juntou cerca de 250 profissionais das mais diversas organizações.
Este evento, cujo balanço é extremamente positivo, contou com a presença da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, que se mostrou satisfeita com o aumento do número de signatários da Carta Portuguesa para a Diversidade, que passou de 75, há um ano, para 133, à data do Fórum. Entre as entidades signatárias, a larga maioria são empresas.
João Tavares, diretor adjunto de Recursos Humanos da EDP e responsável pela área de Diversidade e Inclusão, foi um dos oradores do evento e falou sobre a estratégia do grupo, que, na matéria, deu os primeiros passos em 2013.
Isabelle Pujol, antiga gestora para a Diversidade e Inclusão da BP e fundadora da Pluribus Europe, consultora francesa na área da Diversidade e Inclusão, abordou formas inconscientes de exclusão, explicando que “90% da exclusão é resultado da ignorância”.
Solat Chaudhry, fundador e diretor do Centro Nacional para a Diversidade do Reino Unido, partilhou várias histórias de racismo que sofreu durante a sua vida e defendeu a necessidade do envolvimento dos gestores de topo no tema da diversidade.
O evento contou, ainda, com a apresentação de um estudo do ISCTE-IUL, por parte das investigadoras Joana Alexandre e Sara Ramos, através do qual foram monitorizadas duas empresas acerca das questões da diversidade. As investigadoras adiantaram que da investigação sairá um inquérito de autodiagnóstico, que será disponibilizado aos signatários da Carta Portuguesa para a Diversidade.
O Fórum terminou com a assinatura simbólica da Carta por parte das novas organizações signatárias, o lançamento do Selo da Diversidade e com vários workshops sobre temáticas da diversidade.
Ana Sofia Antunes, Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência, encerrou o Fórum, destacando a heterogeneidade das organizações que já fazem parte do movimento.
O Selo da Diversidade é uma iniciativa da Carta Portuguesa para a Diversidade liderada pelo Alto Comissariado para as Migrações e que visa promover o reconhecimento das práticas de diversidade e inclusão dentro das organizações. Para se candidatarem ao Selo, as organizações devem ser signatárias da Carta Portuguesa para a Diversidade, sendo os vencedores conhecidos no próximo dia 10 de novembro. Saiba mais em www.cartadiversidade.pt.

Como conclusões, ficam-nos as seguintes recomendações:

- Garantir que a gestão de topo da organização está envolvida ativamente na diversidade e inclusão;

- Identificar e enfrentar as falhas internas de forma a evitar discriminações não conscientes, desenhando mudanças à medida de cada organização;

- Assumir que somos naturalmente mais empáticos/as com pessoas que se parecem connosco e teremos de ter em atenção este fator durante o recrutamento e a progressão na carreira;

- O foco não deve estar apenas em garantir uma força de trabalho diversa, mas em apostar na verdadeira inclusão de todas as pessoas na organização de forma intencional, clara e consciente;

- É imperativo trabalhar não apenas com os grupos minoritários, mas igualmente com os maioritários.

Por: Comissão Executiva da Carta Portuguesa para a Diversidade

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Caderno Especial

  • Captura de ecrã 2017-08-11, às 12 Caderno Especial – junho 2017

    No Caderno Especial de julho, para além das habituais notícias sobre o Ensino Superior, dedicamos um painel de debate à temática “Formação de Adultos e Mercado de Trabalho”, onde colocamos algumas questões a várias universidades sobre o que tem sido feito no âmbito da dicotomia “Oferta Formativa e Empregabilidade”. A não perder também o artigo…

Revista Pessoal

  • Capa Pessoal Revista Pessoal – julho/agosto nº 168

    Na edição de julho/agosto da revista Pessoal, três temáticas ocupam o cerne do debate. No dossier dedicado à temática Wellness, analisamos a evolução do trabalho, que passou de uma base predominantemente de força física para a ação mental, exercida à secretária, ao volante ou na consola de uma máquina, e de que forma essa alteração despoletou…

Sondagem/Quiz RH

Liderança e Amor terão alguma coisa em comum?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...

Colecção Find Out

RHtv