SST & Healthcare

Dez mil passos por dia serão mesmo essenciais para a saúde?

Este ano, o The Guardian informou que até 2020 mais de 500 milhões de pessoas irão usar dispositivos de rastreamento de passos. Isto demonstra a mudança que existe no caminho para uma vida mais saudável, maior longevidade e a aposta nos gadgets.

A “regra dos dez mil passos por dia” foi lançada na área da saúde nos últimos anos – estamos ansiosos para atingir esse número mágico a cada 24 horas. Mas será mesmo assim? Vamos olhar para a pesquisa e decidir por nós mesmos.

Dez mil passos: facto ou ficção?

Para entender verdadeiramente a regra dos dez mil passos, é necessário analisar as suas origens. A ideia surgiu de uma campanha de marketing japonesa verdadeiramente caprichosa (ainda que de grande sucesso) em meados da década de 1960. O objetivo era criar uma campanha publicitária para as Olimpíadas de 1964 em Tóquio. A empresa japonesa Yamasa projetou o primeiro pedómetro wearable chamado “manpo-kei”, que significa “dez mil metros de passo”. Não houve pesquisa por trás deste número – a empresa simplesmente escolheu o valor como indicativo de um estilo de vida saudável. Um dez em dez para ingenuidade e ganho de capital. Um zero em dez para conhecimento científico e investigação.

Má Ciência

De acordo com a professora Catrine Tudor-Locke, que escreveu um artigo discutindo a reportagem dos meios de comunicação sobre o fenómeno dos dez mil passos, as origens da tendência dos dez mil passos por dia são atribuídas a clubes de corrida japoneses e a um slogan de negócios. Mais uma vez, esclareceu que não existem dados científicos por detrás do conceito.

Mas se caminhar é bom para nós, por que razão os dez mil passos por dia não são adequados?

Em primeiro lugar, o grupo de amostra. Essa ideia foi introduzida pela primeira vez na década de 1960, no Japão. Agora estamos em 2019 e muitos dos nossos hábitos alimentares mudaram. Nos anos 60, a população japonesa comia uma dieta menos calórica, com menos gorduras animais. Como existiam menos pessoas a conduzir, provavelmente elas também caminhavam muito mais do que hoje. Desde então o acesso aos transportes melhorou significativamente, fazendo com que até as pessoas mais conscientes do bem que o exercício físico faz à saúde, tenham menos oportunidade para o fazer.

Torne-o pessoal!

Os benefícios da caminhada são muitos: aumento da densidade óssea, combate à obesidade, melhoria da saúde cardiovascular, bem-estar mental e físico são apenas alguns deles. Ainda assim, dez mil passos por dia podem ser inatingíveis para alguns – e um pouco enganosos para os outros.

Tem sido feita muita pesquisa de como a prática de exercício físico leve, tal como caminhadas diárias, têm melhorado a saúde geral de milhões de pessoas. Mas não importa o quanto nos esforcemos, existem dias que entre a nossa vida pessoal e o trabalho não conseguimos alcançar essa meta de dez mil passos por dia.

Definir o seu próprio limite e perceber quantos passos lhe é possível caminhar por dia permite-lhe definir os seus próprios objetivos e não se sentir desapontado quando não consegue alcançar os dez mil por dia.

Dar a si mesmo um objetivo pessoal também tornará menos provável que simplesmente desista da ideia de caminhar.

Quantos passos devemos dar por dia?

Um caminhante moderado pode andar cerca de cem passos por minuto. Para alcançar dez mil passos por dia, teria de caminhar por cem minutos. Para muitas pessoas que trabalham em escritórios ou empregos que não exigem muito movimento, isso pode ser inatingível e fora do comum.

No entanto, se erradicarmos a quantia de dez mil, a ideia em si é excelente – algum exercício é melhor que nenhum e não precisa de ficar stressado por causa de um número para obter resultados.

Artigo publicado em holmesplace.pt

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Revista Pessoal

  • Revista Pessoal – janeiro/fevereiro n.º 177

    O mercado de trabalho, hoje em dia, é global, instável e acelerado, o que exige aos profissionais de todos os setores uma preocupação constante com o desenvolvimento das suas competências, numa lógica de aprendizagem ao longo da vida. No contexto de revolução digital que atravessamos, os Recursos Humanos e a sua formação assumem-se, também, como…

Aprender Magazine

  • APRENDER MAGAZINE – DIRETÓRIO DE EMPRESAS DE FORMAÇÃO / 2018

    LEIA AQUI O mercado de trabalho está a fervilhar com novas oportunidades, que não estão, ainda, a ser completamente exploradas. Com o crescimento económico que se tem vindo a constatar no panorama empresarial do nosso país, a procura de mão-de-obra qualificada tem aumentado significativamente. Em alguns setores – com maior destaque para as Tecnologias da…

Livros

RHtv