4
Tecnologias de Informação

A escassez de mão-de-obra tecnológica provoca um elevado turnover do setor TIC

Este artigo integra a unidade curricular designada Projeto, do Mestrado em Gestão de Empresas, pela Atlântico Business School, e tem como objetivo comprovar que a escassez de mão-de-obra tecnológica provoca um elevado turnover do setor TIC.
Foram analisados diversos estudos, sendo que as conclusões e contributos mais pertinentes foram os seguintes:

- a escassez de recursos TIC é um fenómeno que nos próximos anos não vai desaparecer; existem 900.000 vagas por preencher a nível europeu em 2020 e 15.000 em Portugal (Ana Cláudia Valente, 2015);

- a forma de ultrapassar este problema poderá passar pela criação de uma estratégia em termos de oferta educativa, uma vez que, apesar de haver um número crescente de diplomados, estes não são em números suficientes (Ana Cláudia Valente, 2015);

- a nível europeu, o cenário demonstra que a oferta de emprego está muito acima da procura, havendo categorias profissionais que baixaram na sua procura em termos de 5% (Europeia, 2014);

- em termos de políticos de fomento de aptidões para a era digital, Portugal não tem apresentado uma evolução significativa (Europeia, 2014);

- a escassez de Recursos Humanos é mais significativa nos setores do turismo e das tecnologias da informação, devido à sua evolução na economia portuguesa (Hays, Guia do Mercado Laboral 2015, 2015);

- das empresas que responderam ao inquérito da Hays, 75% sentem dificuldades de contratação, isto devido à saída de muitos profissionais do nosso país (Hays, Guia do Mercado Laboral 2015, 2015);

- a escassez de profissionais pode começar a comprometer a evolução dos negócios (Hays, GUIA DO MERCADO LABORAL 2016, 2016);

- prevê-se um crescimento do setor de 2,2% até 2018 (IDC, 2015);

- há um rácio de 4.1 entre colaboradores e empresas TIC, o que é demasiado baixo para o potencial do setor (IDC, 2015).

Foi disponibilizado, igualmente, um inquérito a uma população de profissionais previamente estabelecida. A partir da análise das respostas, foi possível comprovar várias sub-teses.

i) Sub-tese 1: Demonstrar a existência de défice de Recursos Humanos qualificados em Tecnologias

Pelo inquérito efetuado, 94% da população inquirida reconhece haver escassez de programadores no setor das TI. Analisemos agora, as hipóteses paralelas associadas:

· Os perfis com maior escassez são os programadores seniores
Em 54% das respostas, os programadores seniores foram indicados como representando a categoria profissional com maior representatividade na escassez de Recursos Humanos tecnológicos. De seguida, vêm os programadores juniores com 27%. A categoria com menor escassez é, com 3%, os analistas funcionais e os engenheiros de qualidade.

· As faculdades devem adequar a oferta formativa ao que o mercado procura
Decorrente do inquérito, 75% das empresas não consideram os cursos do ensino superior adequados às necessidades atuais das empresas. Deverá haver lugar a um maior diálogo entre o tecido empresarial e as instituições de ensino superior, no sentido de promover alterações nos diversos cursos tecnológicos, com vista a corresponderem de forma mais eficaz ao mercado atual.

· O afastamento dos grandes centros poderá ser uma alternativa à problemática
87% dos vários profissionais inquiridos reconhecem que o afastamento de centros de competências tecnológicas dos grandes polos urbanos poderá representar uma estratégia de combate à problemática de atração de talento por parte das empresas, dando desta forma oportunidades a recursos de outras geografias, permitindo-lhes permanecer perto das suas origens.

· Devem ser tomadas medidas de atração de mulheres para o setor
97% das empresas questionadas reconhecem que deveriam ser tomadas medidas, tendentes a atrair mulheres para o setor tecnológico, visto que ainda é uma área em muito representada por homens.

· As academias de reconversão de profissionais podem ter elevada importância e significativo impacto no setor
A reconversão de profissionais com bases de engenharias ou matemática surge, igualmente, com base nas respostas do inquérito, como uma boa fonte de resolução desta problemática. Responderam afirmativamente 93% dos inquiridos, o que parece demonstrar uma quase unanimidade na bondade desta medida.

ii) Sub-tese 2: Quantificar e caracterizar a rotatividade de Recursos Humanos nas empresas ligadas às Tecnologias da Informação

De acordo com os resultados do inquérito, existe rotatividade de recursos tecnológicos em todas as empresas inquiridas e as respostas foram afirmativas em 87%. Especificando a questão da rotatividade em cada uma das organizações: 63% responderam que são os programadores juniores os que mais reforçam os valores da rotatividade, seguindo-se os programadores seniores com 33%. A maior taxa de rotatividade vivenciada pelas empresas, fazendo parte desta amostra, reside nos profissionais com menos de dois anos de estadia nas empresas, ou seja, com uma percentagem de 60%, seguindo os profissionais, que se encontram nas empresas entre dois a cinco anos, com 30%, e, por fim, os colaboradores acima de cinco anos, com 10%.

iii) Sub-tese 3: Identificar o dinamismo deste setor, em termos de crescimento e surgimento de empresas, o que provoca um aumento de necessidades de contratação futuras

De acordo com o inquérito estabelecido, a vinda de empresas tecnológicas estrangeiras, sobretudo francesas, é encarada pelas empresas portuguesas como uma verdadeira ameaça (77%) à rotatividade de Recursos Humanos, pois acabam por atrair profissionais com condições, que dificilmente as nossas empresas conseguem superar.

iv) Tese Principal: A escassez de mão-de-obra tecnológica provoca um elevado turnover do setor TIC

Praticamente todos os inquiridos reiteraram o facto de esta escassez de Recursos Humanos despoletar a rotatividade dos mesmos. Ou seja, esta insuficiência de profissionais tecnológicos acaba por motivar a fácil mobilidade de empresa em empresa, o que vem confirmar a tese principal do artigo científico. 97% dos inquiridos concorda com esta asserção, afirmando que, caso não houvesse tanta escassez de recursos tecnológicos, a rotatividade tecnológica não seria tão elevada.
Esta escassez parece poder vir a piorar com a vinda de empresas tecnológicas estrangeiras para Portugal, sendo que estas empresas procuram centenas de profissionais.
Como é possível concluir, todos os objetivos foram amplamente atingidos, quer com base nos estudos analisados, quer através do inquérito disponibilizado.

^435E85C4B95AE576EBDA53429D81553487879F3F82163E08E1^pimgpsh_fullsize_distrPor: Tânia Fernandes, IT recruiter da ITSector

Artigos Relacionados

Opinião Online

Find more about Weather in Lisboa, PO

Aprender Magazine

  • Captura de ecrã 2017-10-11, às 01.21.50 Aprender Magazine – Diretório de Empresas de Formação

    Considerando que o mundo profissional está, hoje em dia, em constante mudança, é fundamental que os recém-diplomados e profissionais de todos os setores desenvolvam continuamente as suas competências, numa lógica de aprendizagem ao longo da vida. Num mundo global fortemente concorrencial…

Revista Pessoal

  • Capa Pessoal Revista Pessoal – setembro/outubro nº 169

    Na edição mais recente da revista Pessoal damos destaque ao 50.º Encontro Nacional da APG – Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas, que se realiza já no próximo dia 16 de novembro, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. “Back to People: A Rutura de Paradigmas na Gestão das Pessoas” é o tema central do evento que ganha especial…

Sondagem/Quiz RH

Liderança e Amor terão alguma coisa em comum?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...

Colecção Find Out

RHtv